segunda-feira, 28 de junho de 2010

É possível alguém ser contra... vacinas?

Do you like this post?


escute nosso podcast

3 comentários:

Adriana disse...

Legal o programa. Alguns (muitos, acho) homeopatas são contra vacinas. Recentemente um convenceu meus avós a não tomarem vacina contra gripe e substituí-la por um remédio homeopático. Que raiva desses incompetentes! Pra mim, virar homeopata é o mesmo que rasgar o diploma de médico.

Jeferson Arenzon disse...

Oi Adriana,

Devemos gravar logo um programa específico sobre homeopatia... aguarde...

Bremm disse...

As únicas vacinas que eu não levo muita fé (não acredito na eficácia das mesmas) são as da gripe. Seria muito mais sensato colocar as pessoas em quarentena, visto que o vírus é mutante e a cada ano as cepas são diferentes.

Em pessoas que fazem tratamento com imunossupressores, não é recomendado o emprego de vacinas, exceto em casos onde a enfermidade pode matar facilmente (malária, p. ex.).

Texto copiado da bula de uma vacina usada no combate a rubéola:

"O tratamento com imunossupressores ou a radioterapia pode reduzir ou anular a resposta imune de RUDIVAX, ou pode potencializar a replicação viral e aumentar a incidência de efeitos colaterais. Este fenômeno não se aplica a corticosteróides utilizados na terapêutica de reposição, em tratamentos sistêmicos de curto prazo (menos de 2 semanas) ou por outras vias de administração que não causem imunossupressão."

Isso não é ser contra nenhuma vacina e sim defender o uso racional delas. Cabe lembrar que episódios como a vacinação maciça de 1976 nos EUA (inúmeros casos da síndrome de Guillain-Barre) podem acontecer de novo.