sexta-feira, 5 de junho de 2009

A verdadeira causa do desastre do vôo 447

Do you like this post?
O texto abaixo foi publicado pelo Marcelo Carneiro da Cunha, colunista do Terra Magazine. Como era de se esperar, depois do acidente apareceram várias pessoas que previram, sonharam, avisaram, etc. Algumas de boa fé, outras nem tanto. Normalmente, como no caso relatado aqui pelo Marcelo, a argumentação é infantil. Basta um mínimo conhecimento de probabilidades para ver isso. Mas as pessoas não costumam ser boas nisso, além de serem facilmente impressionáveis por coincidências (vejam, por exemplo, essa coluna do Michael Shermer publicada na Scientific American no ano passado ou esse post aqui da Fernanda), e talvez por isso a numerologia tenha um certo eco. Como tantas outras crendices, não passa pelo duro teste da realidade. Segue o texto do Marcelo.

Estimados milhares de leituras dessa coluna, aqui venho para em alto e bom declarar a todos que foi revelada a causa da tragédia com o vôo 447 da Air France. 15. Isso mesmo. Um simples e falsamente inocente número. 15.

Quem nos dá o privilégio dessa informação é o numerólogo Chris Allmeida, que circulou uma nota na imprensa nessa terça-feira, intitulada o Vôo 447 pela ótica da Numerologia.

Em síntese, vejam aqui o que diz o nosso bravo numerólogo:

Vôo 447 = 4 + 4 + 7 = 15
Na numerologia, 15 é o número do Diabo. Este número carrega consigo uma carga muito forte de energias negativas, agressividade, medo, desvio de caminhos, etc.

Indo além, ele adiciona mais bruxaria ao que já ia tão mal:

Na numerologia caldéia e cabalística, temos:
A=1, I=1, R=2 = 1 + 1 + 2 =4
B=2, U=6, s=3 = 2 + 6 + 3 = 11
AIR + BUS = 4 + 11 = também temos o 15

Como, como, COMO as autoridades aeronáuticas não se deram conta disso? O simples fato de o vôo 447, voado com um Airbus, fazer isso diariamente, saindo do Rio e chegando a Paris com razoável pontualidade e integridade física ao longo de anos fez com que todos, lamentavelmente, relaxassem, deixando de atentar para a incrível coincidências de números 15 por todos as lados.

Quanta incompetência, meu Deus! Como ainda não temos um Ministério da Numerologia para analisar TODOS os eventos cotidianos de todos nós, para prever desastres, impedir maldades, justificar a nossa ausência em reuniões de trabalho! "Sinto muito, caro cliente, mas encontro justamente às 15 horas, nem pensar!!!"

COMO ninguém se deu conta dessa fatalidade? Como é que ainda temos as 15 horas, todas as tardes? Por que ninguém removeu o dia 15 de cada mês, garantia de perigo e insegurança para todos nós, pobres mortais que seguimos a vida na ignorância de tudo que nos diz a sagrada ciência da Numerologia? Obrigado, Cchrriss Allmmeidda. Você ajudou a salvar milhares de vidas. Pena que seu aviso tenha chegado tarde, especialmente para os pobres passageiros do vôo 447.

Aliás, por que mesmo você não avisou todos antes de embarcar? Aliás, por que não avisou a Air France para cancelar esse vôo desde sempre? Você não é O cara? Numerologia não é A ciência? Ou será que era melhor aguardar o desastre e a terrível perda de vidas, para então o mundo finalmente escutar a sua mensagem?

Pois eu tenho uma mensagem para você.

A sua mensagem é uma fraude. Numerologia é uma fraude. Você, nem sei qual era o seu nome original, portanto, prefiro não afirmar nada a seu respeito, a não ser que você fez uma coisa muito feia, de péssimo mau gosto, de lamentável insensibilidade. Ao se proclamar numerólogo, para mim, você era apenas um tolo. Ao emitir essa nota logo após ao acidente, você se mostrou um péssimo e insensível ser humano, aproveitando esse momento tão impossivelmente trágico para promover o seu consultório de nenhuma-ajuda. E acho que eu não fui o único a achar isso. Você sabia que sua assessoria de imprensa se desculpou pela sua nota, ontem mesmo?

Eu, aqui na minha luxuosa laje em Pinheiros, nesse verdadeiro templo dedicado à Razão, balanço a cabeça desanimado com essa triste obsessão humana, com essa insistência em atribuir à magia tudo que não está exatamente no manual do nosso cotidiano. Numerologia, astrologia, homeopatia, cristalomancia, neurolinguistica, cabala, esqueci alguma dessas besteiras?

Você, que me lê, acredita em alguma dessas formas de metafísica para parvos, como disse o Lima Barreto, muito, muito antes de mim? Você acredita em Atlântida, em florais de Bach, na energia misteriosa das pirâmides? Você curte uma boa macumba, vai ao pai de santo, consulta a astróloga que sua amiga disse que é o máximo e lhe disse que sua vida vai enfrentar alguns desatinos e que uma viagem, uma doença na família e um garboso príncipe a aguardam, desde que você saiba evitar o maldito 15 e suas muitas subdivisões?

Você também opta por viver a vida de mágica em mágica, de credulidade em credulidade, pulando de uma a outra enquanto sua vida segue e alguém sério inventa uma nova vacina para algo que mataria você se você insistisse com o homeopata de plantão?

Eu gostaria que todos aproveitassem para fazer o contrário que o tal Chris propõe. Eu gostaria que todos lessem, ou espiassem ao menos, livros como "O mundo assolado pelos demônios", do Carl Sagan, que pede aos homens e mulheres que parem de seguir essas tolices e se voltem para a beleza da ciência. Que todos leiam o lindo "Uma breve história de quase tudo", do Bill Brysson, que nos chama para nos encantarmos com a mágica do que realmente existe e nos cerca, em vez de perdermos tempo com bobagens repetidas ao longo de milênios, e que não nos ajudaram a avançar um milímetro.

Vocês precisam pensar que, há apenas 100 anos, pouco mais, uma mulher em três morria no parto. Que a vida média era 37 anos, na Europa. Que quase todo mundo morria de choque, uma simples apendicite era mortal. Tuberculose também era. Lembram da varíola, poliomielite? Se morria de tudo, rezando pra qualquer coisa, numerando e astrologando ou não, nada fazia a menor diferença.

Isso somente mudou quando começamos a pensar pra valer e paramos de atribuir tudo os deuses ou aos duendes. Criamos remédios que funcionam independentemente do que eu pense sobre eles, criamos vacinas, inventamos a anestesia. Nada disso foi invenção de tarólogo, posso assegurar a vocês. Inventamos a vida moderna e nela vivemos, mas infelizmente a bruxaria veio junto. Precisamos nos livrar dela, pensando no que realmente acontece.

E o que realmente derrubou o vôo 477 foi o fato de que ele era um avião, que aviões infelizmente caem, sempre irão cair, uns poucos, enquanto a vasta maioria, numa celebração da inteligência humana, chegam aos seus destinos, depois de terem decolado, subido até 10 km de altura e -50 graus, viajado a mais de 800 km por hora, deixando-nos sãos e salvos, apenas mal-alimentados, para podermos trabalhar, conhecer lugares que jamais conheceríamos, encontrar pessoas amadas, viver a vida em sua plenitude.

Isso, contém riscos que numerologia nenhuma explica ou evita, porque, como qualquer tolice, ela fica infinitamente aquém da vida.

Raios caem sobre a gente, automóveis infelizmente colidem com caminhões, navios afundam, e todas as criações contém erros ou riscos, e assim é a vida, complexa demais para ser descrita ou controlada. Vivemos graças a essas maravilhosas coisas que criamos, e devemos aceitar a idéia de que, vez por vez, algo saia errado, ao mesmo tempo em que lutamos e usamos nossa inteligência para que cada vez menos coisas saiam errado.

Vamos chorar os passageiros do vôo que terminou tão tristemente, vamos aprender e melhorar os aviões, mais do que simplesmente duplicar as consoantes nos nomes deles.

Vamos, porque ir é a nossa natureza. Vamos em frente, mostrar do que somos capazes. Vamos, porque sim.


Marcelo Carneiro da Cunha é escritor e jornalista. Escreveu o argumento do curta-metragem "O Branco", premiado em Berlim e outros importantes festivais. Entre outros, publicou o livro de contos "Simples" e o romance "O Nosso Juiz", pela editora Record. Acaba de escrever o romance "Depois do Sexo", que foi publicado em junho pela Record. Dois longas-metragens estão sendo produzidos a partir de seus romances "Insônia" e "Antes que o Mundo Acabe".



Fale com Marcelo Carneiro da Cunha: marceloccunha@terra.com.br

11 comentários:

Fernanda Poletto disse...

Olá!

Concordo com o seu ponto de vista, Jeferson, bem como com a idéia exposta pelo jornalista Marcelo. Agora.... confundir cristalografia com cristalomancia (suponho) é sacanagem! Coitados dos cristalógrafos.

Jeferson Arenzon disse...

Ops, corrigido! Obrigado!

Atilio Alvares(atilio.alvares@bol.com.br) disse...

Texto muito bom. Gostei. Brilhante apresentação das ideias. Dá-me um pouco de esperança. Já ando desistindo das pessoas por causa da epidemia de ignorância.

Luiz Claudio disse...

e oq vc tem a dizer a respeito do poder do pensamento?
faz parte de todo esse besteirol?

veja esse vídeo á partir de 2:45
http://www.youtube.com/watch?v=2F4zbP8xo5Q

Jeferson Arenzon disse...

Luis Claudio,

Depende um pouco ao que tu te referes. Mas sim, há uma boa dose de non sense envolvido. Um exemplo é o vídeo que citaste, sobre a capacidade da água. A água NÃO forma cristais simétricos ou não em função da etiqueta que está ali. A água ao congelar forma MUITOS cristais, e se serão ou não simétricos vai depender da taxa de congelamento e da presença de impurezas, mas NÃO da etiqueta colocada ali. Há milhares de blogs e páginas na rede (olha, por exemplo, o item referente ao filme Quem Somos Nós? na Wikipedia) mostrando os erros do Emoto. O que ele faz é, numa hipótese condescendente, má ciência.

Mário disse...

Pára tudo!! Pára o mundo que eu quero descer!! O número do capeta não era 666??? Que papo é esse de 15 agora!?

(Só para constar, estou brincando)

Grande post, Jefferson

Tiago "PacMan" Peczenyj disse...

Ora ora... só fui descobrir este blog devido a um amigo que foi para a Belgica e, de la, compartilhava os feeds pelo google reader.

O mundo dá voltas. Parabéns pela iniciativa!

Tiago "PacMan" Peczenyj disse...

E a hipótese do buraco negro ter destruído o airbus?

http://jbonline.terra.com.br/pextra/2009/06/01/e010612092.asp

Sensacional

Jeferson Arenzon disse...

Luis Claudio,

Esse post (lembrado pelo Osame) também tem um extensa resposta:

http://dragaodagaragem.blogspot.com/2007/05/o-guia-ctico-para-assistir-what-bleep.html

abs,

Anônimo disse...

OI !! Tava passando poraqui e achei interssante o Blog. Teve um cientista que explicou dá uma possivel idéias desse tipos de acidente envolvendo aeronaves. Nas 4 observações finais dele. Os Acidente são parecidos com o do Triângulo das Bermudas.

Leitura:


http://www.scribd.com/doc/16331957/Teoria-do-Triangulo-das-Bermudas


Download:

http://www.4shared.com/file/111224052/82504f2c/Teoria_sobre_o_Tringulo_das_Bermudas.html


Falou....

Jeferson Arenzon disse...

Caro anônimo,

Obrigado pela visita e pelo comentário. Uma hipótese a la Triângulo das Bermudas não pode ser levada a sério nesse caso
(na verdade, em nenhum caso).
Abs,
Jeferson