quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

A lógica impecável de São Tomás

Do you like this post?
http://www.lapulgasnob.com/

(via Jeferson)

18 comentários:

André von Kugland disse...

Muito engraçado, mas Santo Tomás de Aquino jamais disse nada parecido com isso. Como vocês são ímpios convictos e orgulhosos, não vêem necessidade de seguir o sancto mandamento “não prestarás falso testemunho,” por isso mentem desavergonhadamente e sem culpa.

Jeferson Arenzon disse...

Stanford Encyclopedia of Philosophy
(http://plato.stanford.edu/entries/homosexuality/ )

Aquinas, in a significant move, adds a requirement that for any given sex act to be moral it must be of a generative kind. The only way that this can be achieved is via vaginal intercourse. That is, since only the emission of semen in a vagina can result in natural reproduction, only sex acts of that type are generative, even if a given sex act does not lead to reproduction, and even if it is impossible due to infertility. The consequence of this addition is to rule out the possibility, of course, that homosexual sex could ever be moral (even if done within a loving marriage), in addition to forbidding any non-vaginal sex for opposite-sex married couples.

André von Kugland disse...

Você é imbecil ou o quê, Jeferson? Onde, neste parágrafo, diz-se que ele deduziu isto das provas do “Utrum Deus sit”? É isto que eu disse que era mentira.

Jeferson Arenzon disse...

Eu te aconselho um rápido curso de boa educação e outro, talvez mais longo, de interpretação de texto. Na piada não diz que é deduzido de algum lugar. Tua mensagem não afirma que querias dizer isso, pelo contrário, dizia "Tomás de Aquino jamais disse nada parecido com isso". A SEP parece mostrar que disse... Ah sim, para concluir o assunto, serás solenemente ignorado, como outros do teu tipo que já passaram por aqui. Felicidades.

André von Kugland disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Marco Idiart disse...

De "Ímpios convictos e orgulhosos" à ofensas e agressões em um único reply. Puxa Jef tu estas cada vez melhor... Vai ser difícil de bater este.

André von Kugland disse...

“À ofensas”?

André von Kugland disse...

Diz, sim: “Luego, debe existir una primera causa incausada que haya creado el mundo en siete días y formado al hombre de barro &c.”

Na resposta à questão utrum Deus sit conclui apenas que sim, que D-us é; o quadrinho, ao contrário, falsifica o raciocínio do sancto. O Sr. Arenzon não consegue nem interpretar texto de quadrinhos.

Chico disse...

Senhor André, pela tua demonstração de paz, respeito e solidariedade de que somente os cristão elevados são capazes, és merecedor da minha ajuda na interpretação dos quadrinhos.

O humor fundamenta-se frequentemente em exageros e quase sempre na transição súbita do razoável para o ridículo. O primeiro quadrinho usa linguagem sofisticada e parece introduzir um pensamento razoável. O segundo quadrinho faz a transição para o ridículo introduzindo com exagero (para fim de clareza) as conclusões e crenças mal fundamentadas de Tomás, que apelam para o argumentum ad ignorantiam e para lapsos lógicos injustificáveis e hipóteses não corroboradas por evidências. O terceiro quadrinho fecha com uma crítica à homofobia cristã, que não poderia ser considerada razoável porque provém de um sistema de crenças falacioso e muito mal fundamentado, como exposto no segundo quadro.

O absurdo da homofobia cristã é ressaltado pelo fato de que o personagem dos quadros - ao contrário da tua interpretação - sequer traça uma relação de conclusão entre a afirmação final e os dois quadros anteriores. A homofobia não é fundamentada nem em lógica ruim, segundo o último quadro. Isso fica claro pelo começo da última frase: "Ah, y ...". "Ah" e "y" denotam, respectivamente que Tomás se lembrou de algo avulso e o apresentou como adição injustificada em vez de conclusão.

Por fim, deve ficar claro que o título é irônico, quase sarcástico, dada a irracionalidade do sistema de crenças que produz a homofobia cristã.

Marco Idiart disse...

Ele detecta uso incorreto de crase. Tão mal não deve ser afinal.

Jorge Quillfeldt disse...

Este blogue aceita o debate racional de qualquer tema polêmico, nas mais variadas temperaturas, exceto ataques de dois tipos: (a) propaganda de ódio (racial, de gênero, etc), e (b) ataques movidos por trolls (leia o texto linkado caso não conheça o termo) que visam basicamente tumultuar qualquer discussão pela mera exibição de ferocidade verbal.

Estas pessoas estão convidadas a retirar-se a outros sítios afins existentes na grande rede, já que definitivamente não pertencem ao universo blogueiro.

Como exemplo - e para provar que não estamos censurando ninguém - leiam o comentário que removemos acima para poupar nossos inteligentes leitores desse tipo de poluição, mas que aqui reproduzo para fins didáticos (os grifos são meus):


"André von Kugland deixou um novo comentário sobre a sua postagem 'A lógica impecável de São Tomás':

Diz, sim: 'Luego, debe existir una primera causa incausada que haya creado el mundo en siete días y formado al hombre de barro &c.'

Quem não sabe ler é o Sr., e não pretendo ser educado com um imbecil como o Sr., que não sabe interpretar quadrinhos, e quer se meter nas subtilezas da filosofia. Vá à merda.

Postado por André von Kugland no blog Coletivo Ácido Cético em 14 de janeiro de 2013 18:12
"


Qualquer repetição deste tipo de postura será sumariamente removida. As tentativas de trollagem poderão ser monitoradas por todos os interessados mediante a contagem dos comentários do tipo "removido por um administrador do blog". Outras medidas também poderão ser tomadas.

Peço a todos os que nos acompanham que não alimentem os trolls caindo em suas provocações.

E sigamos a discussão: Allons-y!

André von Kugland disse...

Chico, certamente que o “ah, y ser gay &c” se deve ler como uma adição que não se deduz da prova ex ratione causæ efficientis, a mentira de que falei é a que diz que das quinque viæ Santo Tomás deduza a criação do mundo ou do homem secundum Genesim. E isto, sim, está no quadrinho. Præterea, ainda está implícito que no edifício filosófico do tomismo a condenação da sodomia seja gratuita, quando ele dedica os artigos 11º (Utrum vitium contra naturam sit species luxuriæ) e 12º (Utrum vitium contra naturam sit maximum peccatum inter species luxuriæ) da questão 154 da IIaIIæ ao assunto.

Cousa que poucos sabem é que a terminologia usada por Santo Tomás tratando da sodomia e dos outros vícios similares, isto é contra a natureza, origina-se em Platão, que—aliás—também a condenava, como se vê nesta passagem: “Καλῶς ὑπέλαβες: αὐτὸ γὰρ τοῦτο ἦν τὸ παρ᾽ ἐμοῦ λεχθέν, ὅτι τέχνην ἐγὼ πρὸς τοῦτον τὸν νόμον ἔχοιμι τοῦ κατὰ φύσιν χρῆσθαι τῇ τῆς παιδογονίας συνουσίᾳ, τοῦ μὲν ἄρρενος ἀπεχομένους, μὴ κτείνοντάς τε ἐκ προνοίας τὸ τῶν ἀνθρώπων γένος, μηδ᾽ εἰς πέτρας τε καὶ λίθους σπείροντας, οὗ μήποτε φύσιν τὴν αὑτοῦ ῥιζωθὲν λήψεται γόνιμον, ἀπεχομένους δὲ ἀρούρας θηλείας πάσης ἐν ᾗ μὴ βούλοιο ἄν σοι φύεσθαι τὸ σπαρέν. Ὁ δὴ νόμος οὗτος διηνεκὴς μὲν γενόμενος ἅμα καὶ κρατήσας, καθάπερ νῦν περὶ τὰς τῶν γονέων συμμείξεις κρατεῖ, ἐὰν καὶ περὶ τὰς ἄλλας νικήσῃ δικαίως, μυρία ἀγαθὰ ἔχει. Κατὰ φύσιν μὲν γὰρ πρῶτον κεῖται, λύττης δὲ ἐρωτικῆς καὶ μανίας καὶ μοιχειῶν πασῶν καὶ πωμάτων καὶ σίτων εἴργεσθαι ποιεῖ τῶν ἀμέτρων πάντων, γυναιξί τε αὑτῶν οἰκείους εἶναι φίλους: ἄλλα τε πάμπολλα ἀγαθὰ γίγνοιτ᾽ ἄν, εἰ τοῦ νόμου τις τούτου δύναιτο ἐγκρατὴς εἶναι.”

Jorge Quillfeldt disse...

BTW, as infinitas possibilidades de simular erudição com uma combinação de Google e copy-and-paste, mais uma pitada de formatação de símbolos (gregos)em html não me impressionam muito, μπορείτε να καταλάβουμε ?

Lang disse...

O antropofagismo introduzido entre os católicos (não são todos os cristãos que acreditam nos poderes mágicos dos padres) por Tomás de Aquino por meio da mágica alquímica da "transubstanciação do pão e do vinho em corpo e sangue de Cristo" não é algo abominável, indubitavelmente "contra a natureza"?

A sodomia é "contra a natureza" segundo o pensamento do Doctor Angelicus mas a antropofagia eucarística não é.

Esta é a racionalidade do Doctor Angelicus!

André von Kugland disse...

Κατανοώ, Γεώργιος.

Primeiro, a doutrina da transformação do pão e do vinho no corpo e no sangue de Nosso Senhor não é uma invenção católica, mas existe também nas igrejas ortodoxas e nas igrejas pré-calcedônicas, o que prova sua antiguidade. Segundo, a antropofagia, mesmo a antropofagia simpliciter, não é um vício contra a natureza, porque não é contrária nem à nutrição de quem come nem à corrupção do cadáver.

André von Kugland disse...

E já provei, pela citação que dei, que a doutrina dos vitia contra naturam foi primeiro enunciada por Platão, e não por Santo Tomás.

Se quereis ler a tradução, ζητεῖτε καὶ εὑρήσετε!

Jorge Quillfeldt disse...

Esqueci de mencionar o Google Translator, muito útil para posar...

André von Kugland disse...

Google Translator agora tem grego koiné? Se você fosse um pouco mais estudado, perceberia os sinais de aspiração. :)