segunda-feira, 19 de julho de 2010

Diluindo a Homeopatia

Do you like this post?

escute nosso podcast


5 comentários:

Chico disse...

Vou passar o link do programa para alguns fãs de homeopatia que conheço. Muitos dos usuários gostam de argumentos que apelam à autoridade: se o médico deles diz que a homeopatia funciona, quem sou eu (não-médico) para dizer o contrário? Ainda bem que havia médicos no debate. Agora eu tenho uma "prova" do embuste da homeopatia.

O que mais me incomoda é o fato do Conselho Federal de Medicina reconhecer a homeopatia. Como isso foi acontecer? Alguém sabe me dizer? Deveriam ter, literalmente, vergonha dessa atitude. Só pode ser um posicionamento político ou corporativo, porque certamente não é científico, nem responsável, nem ético.

Barradas disse...

A ciência tem desmentido as afirmações da prática homeopática há tempos, seja pelo exame dos supostos resultados ou pelo apontamento das incoerências com relação ao conhecimento científico vigente (inclusive, saberes muito consolidados na física, como o Jeferson mostrou). O fato da medicina, através de seus órgãos legais, considerar a homeopatia uma prática válida, indica um descompromisso dessa com a ciência em si. Dessa forma, a medicina retorna à condição histórica de ferramenta com a finalidade única de aliviar o sofrimento humano, como dito pelo Dr. Dráuzio Varella.

Isso pode ser visto como uma questão conceitual sobre o caráter da prática médica: deve ser sempre aliada e coerente com o conhecimento científico ou deve ser um compêndio de técnicas (científicas ou não) que busquem trazer a saúde e o bem-estar ao ser humano?

Julgando pela confiabilidade acumulada, fico com a primeira opção... mas, se os conselhos de medicina escolhem a segunda, é uma questão com repercussões sociais importantes.

E, justiça seja feita, se é esse o caso, não vejo impecílio ao reconhecimento total de outras terapias alternativas, como iridologia, cromoterapia, até que retornemos às tradicionais e bem-intencionadas práticas xamãnicas de cura...

Afinal de contas, eu me sentiria bem se meu povo fizesse uma fogueira e dançasse em volta cada vez que eu ficasse resfriado.

Mas pode ter certeza que eu ainda andaria com a Aspirina no bolso...

Ótimo programa!

Leticia disse...

Adorei o programa. Parabéns!
Eu tenho algumas dúvidas em relação à homeopatia:
Qual é o destino das diluiçoes anteriores? Por exemplo, se o objetivo é a diluição número 30, o que fazem com a 29, 28, etc.
Até onde eu sei se descarta no ralo da pia, desconheço sistemas de tratamentos de resíduos homeopáticos.
Mas seguindo a linha de raciocínio, então o Guaíba é uma grande sopa homeopática? Entao todos tomamos homeopatias todos os dias e estamos protegidos de tudo pelo resto de nossa vida? Então não precisamos de consultas com homeopatas, fazemos todos juntos uma profilaxia homeopática! Mas como ainda ficamos doentes?
Ainda espero a resposta para as minhas questões, as pessoas ligadas à homeopatia às quais fiz as perguntas acima se mostraram aborrecidas e não me responderam.

Jeferson Arenzon disse...

Sem falar que se a água mantém memória de tudo que foi agitado junto com ela, eu somente beberia água se viesse de Marte....

Adriana disse...

Mas sabe que a homeopatia até faz sentido...? Um sujeito teve uma doença com o sintoma X, aí chegou o médico criativo achando que um veneno que provoca o sintoma X poderia curar a doença. Não deu certo, claro, e a situação só piorou. Mas ele corrigiu o problema diluindo o veneno até que não mais fizesse mal. E os pacientes ficaram menos mal do que antes. Sucesso!

Todo dia eu rezo para o Grande Senhor do Acaso para jamais ter um filho criacionista, ladrão ou homeopata.