quinta-feira, 3 de novembro de 2011

A igreja, a religião e seu pênis (se tiver um)

Do you like this post?
Este post contém cenas de nudez e religião. Não continue.



Você considera a seguinte frase ofensiva?



A religião é como um pênis:
  • tudo bem ter um;
  • tudo bem ter orgulho dele;
  • mas por favor não o exiba em público ou saia balançando-o,
  • e, POR FAVOR, não tente enfiá-lo goela abaixo nas minhas crianças.
E as ações do grupo "Fuck for Forest", como a mostrada neste vídeo onde invadem uma igreja?

14 comentários:

Pop Top Lady disse...

Muito verdadeiro!!! Pena que a maioria das pessoas faz exatamente isto...principlamente aqui no Bible Belt dos EUA, onde eu vivo (e vivo mordendo a lingua...).

Lila disse...

Ofensiva? De maneira alguma! Necessária e esclarecedora.

Marco Idiart disse...

Acho um pouco de mau gosto. Os que tem penis sabem como ele é caprichoso, e como algumas associações em horas erradas podem ser desastrosas.

Marco Idiart disse...

Sobre o FFF acho que eles estão errados. Ninguém de nós gostaria se as aulas de biologia ou física das escolas e universidades fossem invadidas por fanáticos sacudindo bíblias.

Jeferson Arenzon disse...

Marco, acho que NINGUÉM tem dúvida de que esse pessoal do "Fucking for Forest" está fazendo errado. A menos, claro, que o objetivo deles não sejam as florestas...

Jorge Quillfeldt disse...

Isso é realmente muito wibbly wobbly!

Marco Idiart disse...

Oi Pop
Estava respondendo ao Jef.
Com o ele nunca se sabe. :-)
Eu não me oponho especificamente aos métodos do FFF. Entrar na Igreja é que eu achei demais. Para mim a igreja é que nem clube de bridge, quem não gosta não vai, mas deixe quem gosta se divertir.

Jorge, este termo "wibbly wobbly"tem tradução ou estas te americanizando.

Marco Idiart disse...

Putz, achei que era a Pop que me escreveu antes... será que estou ficando senil?

Jeferson Arenzon disse...

Oi Clode (Pop),

tu estás na minha lista para quando formos gravar um episódio do "Fronteiras da Ciência" sobre o ensino de evolução... nada como ter alguém no front...

Bjs

Sandi disse...

eu considero ofencivo: a frase foi construída com esse objetivo, certamente por alguém revoltado com a situação. Só o fato dela ter sido feita para ser ofenciva já a torna ofenciva.

e o pessoal do FFF nem se fala...eu acho que é direito deles protestar contra religiões e igrejas, se quiserem. Mas eles realmente precisam respeitar as regras locais (que provavelmente incluem evitar fazer sexo na frente de crianças dentro de uma igreja, por exemplo)...

Jeferson Arenzon disse...

Sandi,

Acho que todos estamos de acordo que invadir uma igreja, pelados e tentar fazer (ou simular) um ato sexual é altamente inapropriado e claramente ofensivo (mesmo que não houvesse crianças ali). Cada um pode levar, na sua vida privada, o estilo de vida que quiser, desde que isso não prejudique o próximo. Certo?

Dito isso, a primeira parte do post se refere exatamente à parte da religião, e dos religiosos, que insiste em fazer exatamente a mesma coisa. Seja impedindo pesquisas com células tronco seja incitando a ateofobia e a homofobia, ou dificultando a introdução de leis mais igualitárias (como a do casamento entre pessoas do mesmo sexo).

Claro, nem todos as religiões e religiosos são favoráveis ou fazem isso. Do mesmo modo, nem todo mundo sai por aí com seus pênis à mostra (os que têm, claro :-))

j.

Sandi disse...

Sim Jef, concordo com tudo o que tu disse...

eu não estava tirando a razão da pessoa que fez a frase, eu sei que ela provavelmente (estatisticamente) tinha motivos...

a única coisa é que, o fato de uma pessoa ter razão em algo não implica em ela não estar sendo ofensiva na maneira de colocar...

e por mais que eu saiba que a pessoa tenha suas razões, eu continuo achando que a maneira de colocar foi ofensiva, como provavelmente era o objetivo (o que é diferente de eu me sentir ofendida, mas como a pergunta era "você acha ofensivo?" e não "você se sente ofendido?" )

Douglas disse...

Perfeito

Chico disse...

A analogia entre pênis e religião foi muito boa.

Invadir uma igreja para fazer sexo, contudo, me parece de mau gosto. Nunca sei se eu (como quase todo mundo) penso isso por algum vestígio de pudor cristão ou por talvez existir algo de objetivamente ofensivo no sexo em público. Gostaria de saber.

Considerando, porém, que deixei de frequentar os templos católicos, com apoio da minha mãe, ainda na infância, por achar muito chato (isso parece não ter mudado), algo falta para atrair e manter o público. A modernização da Igreja Católica promete. Coisas inusitadas devem acontecer na competição com os evangélicos malucos.