segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

10:23

Do you like this post?


Dentro da campanha de conscientização sobre a inexistência de qualquer efeito que possa ser atribuído às poções homeopáticas (além do poderoso efeito placebo), trazemos esta interessante história que saiu na Science em 2010 e comentada na semana passada na newsletter de Roberto Park. Traduzo livremente aqui uma parte do comentário:


Frequentemente descrita como um tratamento com remédios "altamente diluídos", as diluições homeopáticas excedem e muito o limite de diluição a partir do qual nem mesmo uma única molécula do soluto original permanece. Em homeopatica, menos é mais.  Samuel Hahnemann, o fundador da homeopatia, chamou isso de "A lei dos infinitesimais". Luc Montagnier recebeu o Prêmio Nobel de Medicina em 2008 pela descoberta do vírus HIV, enquanto Robert Gallo, que muitos pensavam tinha  uma demanda legítima sobre o prêmio, foi deixado de lado. Entrevistado por Martin Enserink para a Science, Luc Montagnier explicou que está deixando a França para Shanghai para escapar do clima de medo cercando a menção das ondas eletromagnéticas que ele alega emanam de DNA altamente diluídos de vários patógenos, incluíndo aqueles responsáveis pelo autismo e Alzheimer. Jaques Benveniste, a quem Montagnier chama um "Galileu moderno", fez alegações similares. Outros na Europa têm medo de publicar resultados similares, de acordo com Montagnier, "devido ao terror intelectual vindo de pessoas que nâo entendem".

Montagnier, embora use diluições bem mais modestas do que Benveniste ( [;10^{-18};]  em comparação com [;10^{-120};] , ainda assim está fazendo uma alegação extraordinária. Benveniste não conseguiu apresentar as evidências extraordinárias que sua alegação requeria, nunca conseguiu ter seus resultados reproduzidos (Montagnier alega o contrário) e teve seu artigo na Nature desacreditado após uma investigação que levantou sérias dúvidas sobre o que acontecia em seu laboratório. O que Benveniste sim conseguiu foi receber o prêmio Ignobel duas vezes. A segunda por sua "descoberta de que água não somente tem memória, mas que esta informação poderia ser transmitida por telefone e pela internet". As alegações de Montagnier vão no mesmo sentido, inclusive ele diz na entrevista acreditar que Benveniste estava correto. Mas até que apresente mais detalhes do que realmente está fazendo, a comunidade científica permanece fortemente cética. Seu prêmio Nobel não lhe dá passe livre. Aparentemente é mais do mesmo, mais desilusões e ilusões com a homeopatia, e um bom exemplo de não cair na tentação do apelo à autoridade.



PS: confira também alguns posts antigos nossos sobre homeopatia, em particular o programa do Fronteiras da Ciência.

20 comentários:

Marcos Rogério Mota disse...

"ondas eletromagnéticas que ele alega emanam de DNA altamente diluídos de vários patógenos"...
.
O que ele tá usando para ter essas idéias tão inspiradas?

Jeferson Arenzon disse...

É basicamente a mesma ideia do Benveniste. Sem evidências, sem mecanismo...

Giuliano disse...

Achei que já tinha visto de tudo em matéria de homeopatia. homeo para SODOMIA em bovinos.

Nada de desvios sexuais, srs bovinos

http://www.realh.com.br/Produto/Saude+Animal/Sodomia+++saco+com+20kg/229/

Sandi disse...

tem algo que realmente me incomodou nesse link...

"Na persistência do problema, as doses podem ser aumentadas..."

Marcos Rogério Mota disse...

Pois é, como se aumentam as doses na homeopatia?

Sandi disse...

na minha época, mesmo um aumento de 100% de nada, ainda era nada... :)

Giuliano disse...

Oi, Sandi!


Tche, mas tu tem que ver que não pode ficar nessa visão estreita de mente fechada, resumida a essa concepção materialista/cartesiana/não-holística. O tudo está em tudo e o nada não existe, logo na homeopatia o nada é tudo então é possivel sim aumentar a energia áurica vibracional. Mesmo que ninguém a possa detectar.


Quase me dei 1 soco na cara escrevendo isso.

:-)

Sandi disse...

hehehehhe

faz sentido, se nada é tudo, então um argumento que não diz nada na verdade diz tudo... =p

Giuliano disse...

Isso mesmo.

Chamo isso de "argumento coringa". Serve para justificar qquer coisa e portanto não justificam nada. Pseudociências usam de montão esta técnica, sem querer ou não.

[]´s

Jeferson Arenzon disse...

Sejamos sérios! Só porque alguém vende um produto homeopático chamado "sodomia" para controlar bandos de touros depravados, vocês ficam fazendo piada? Pelo menos (ainda) não há a versão em supositório... Afinal, como é que podem dizer que a homeopatia não funciona, se até com animais ela é usada? Se não acreditam, perguntem ao cavalo Hans, o sábio, que ele explica para vocês. P a r a d e i x a r m e u a r g u m e n t o m a i s f o r t e, e s t o u d i l u i n d o - o u m p o u c o...

Giuliano disse...

Que é isso, só papo sério.

Todo esse papo me leva à pergunta básica. Que tipo de coisa esse pessoal dilui agita dilui agita dilui agita dilui agita dilui agita dilui agita dilui agita dilui agita [etc]
pra fazer a dita poção?

Fotos picantes picadas de belas vacas? Uma bovina bem gostosa ou de seu respectivo guizado. E pros que forem homossexu-bois?

Jeferson Arenzon disse...

Bom, partindo do princípio básico da homeopatia de que "igual cura igual", tenho até medo de responder tua pergunta...

Sandi disse...

hahahahh

se bem que a versão supositório faria bem mais sentido se tu combina a lei dos semelhantes com a lei dos infinitesimais... =p

Jeferson Arenzon disse...

fico também imaginando do que será feito outro "medicamento" anunciado ali, o "berne"...

Sandi disse...

e o pior é que os caras colocam isso na ração dos bichinhos...sorte deles que eles não sabem...

e para tratamentos com humanos a filosofia é a mesma...

Jeferson Arenzon disse...

mas eles sabem que estão sendo tratados, e que tem uma pessoa ansiosa para curá-los interagindo com eles... era assim que funcionava com o Hans quando ele fazia cálculos...

Leonardo Luvison disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Leonardo Luvison disse...

Curso oferecido pelo departamento de fitotecnia da UFV

http://www.homeopatias.com/

Chico disse...

Esse curso oferecido pelo departamento de fitotecnia da UFV tem, segundo a página deles, o apoio do CNPq. Caramba! O Conselho Federal de Medicina reconhecer a homeopatia já era demais, mas o CNPq...! Um órgão fomentador de pesquisa reconhecer uma prática anticientífica é um sinal do Apocalipse. Será que o fato de a homeopatia ser totalmente ineficaz é completamente ilógica não incomoda ninguém nessas entidades? Vou mandar um e-mail protestando, certamente.

E o SUS recomenda homeopatia?! Parem o mundo que eu quero descer. O orçamento da saúde já não é curto? E dão dinheiro para charlatões em troca de placebos?

Enquanto a comunidade médica não se mobilizar para acabar com esse oba-oba, os fãs da homeopatia vão continuar dando "provas por autoridade" de sua eficácia: 'Os médicos reconhecem e recomendam. Você não é médico e não sabe de nada'.

Winry-Senpai-Sensei-Sama disse...

Hmmm.. como alguns diriam "tem caroço nesse angu". Bem, não gostaria de usar só esse argumento, mas por comparação com a história daquelas lindas pulseirinhas power balance, não é porque algo é reconhecido por algumas entidades/autoridades/celebridades que quer dizer que seja válido. By the way , depois de já ouvir tanto dessa história e até que os donos da empresa tiveram de admitir que tudo não passava de um engodo, meus pais me compraram a tal da pulseirinha. Absolutamente charmosa. Admito que fiquei tentada à usá-la, mas se mudasse algo em minha vida, estou certa que seria pelo número de pessoas que acreditam no "poder" dela, e não por realmente ter algo além de um holograma "mimoso".
Estava comentando com a minha tia ontem sobre isso, (que na minha opinião teria sido uma das maiores filósofas da história, mas infelizmente não teve tanta ambição...acho que faz sentido. Mas opiniões pessoais à parte) e ela me comentou que é engraçado, antigamente, pelo menos no interior, quanto mais ignorante uma pessoa era, mais desconfiada. Poderia não ter muito conhecimento, mas não se deixaria cair por qualquer propaganda. Hoje em dia parece que acontece o contrário. Acabamos chegando a seguinte conclusão: Pela enorme quantidade de informação e vias de informação das quais dispomos hoje, as pessoas sentem que estão mais bem preparadas para julgar produtos/pessoas/situações, mas apesar da quantidade de pequenos dados avulsos, a qualidade não aumentou, e poucos se aprofundam num assunto, se tornando "sábios superficiais". Inclusive algo do gênero foi comentado pelo professor Quilfeldt em alguma palestra/aula à que assiti, pelo que me lembro. Portanto, não se sabe se por arrogância ou um sentimento de "intimação" devido à "vasta informação", (desculpem a falta de vocabulário pra me fazer mais clara) talvez seja mais fácil querer se "passar por esperto" ao aceitar qualquer logro que nos empurram com uma base "científica", ao invés de ter a paciência e cautela de procurar saber mais sobre o assunto. No final, todos acabam dando com os burros n'agua =P.
Bem isso sem falar que aparecem dados novos a cada dia no mundo científico, e isso abre espaço à mais perguntas e "furos" dos quais caras como os da pulseirinha, e talvez alguns estudiosos de homeopatia, se aproveitem, seja pra "fortificar" suas crenças, ou tirar até o ultimo centavo dos "trouxas".