sexta-feira, 31 de outubro de 2008

31 de outubro é o Dia do Saci!

Do you like this post?
Sei, sei, meus colegas céticos vão dizer que fiquei maluco e comecei a advogar a existência de Sacis e outras criaturas míticas brasileiras... Muito estresse dá nisso!

Mas não é nada disso! Se tem uma coisa que me incomoda quase tanto quanto ver charlatanices e mentiras é assistir à COLONIZAÇÃO de nossa cultura popular. É o que chamo de "autocharlatanice" pois tentamos enganar a nós mesmos fantasiando sermos o que não somos...

Bem, quando se tem filhos pequenos, fica-se sabendo de coisas inimagináveis que acontecem por esse brasilzão... por exemplo, descobri que escolas e outras instituições "comemoravam" o dia das bruxas ou raloin no dia 31 de outubro! As pessoas até vêm organizando "festas" desse tipo para os amigos, incluindo fantasias e guloseimas. É verdade! Até lá em casa já fiz algumas (só que estas tinham monstros brasileiros!).

Todos sabem que o raloin é uma tradição importada dos EUA através do cinema e absorvida pela dinâmica fractal do consumismo, mais uma data para vender mais coisas. Muitos sabem que trata-se de uma festividade que acontece na véspera do dia de todos-os-santos - "All Hallows' Evening", que sanfonou-se no termo "raloin" (Hmmm, te incomoda que eu grafo Hallowe'en em brasileiro? Tsc-tsc, tu és um colonizado de 1o. grau, sabia?).

O que pouca gente sabe é que se originou de uma tradição pagã (i.é., não-cristã) trazida pelos imigrantes irlandeses aos EUA, vindos de um país de raízes culturais celtas onde há séculos se realiza o Samhain, um festival que celebrava o final da colheita e a preparação comunitária para o inverno que se aproximava: neste período matavam seus animais de criação, preparavam embutidos e charques e estocavam alimentos, queimando os restos em grandes fogueiras... Com tantos ossos e caveiras em chamas, não é difícil imaginar como surgiu a crendice de que, na noite de todos-os-santos apagava-se a "fronteira" entre o mundo dos vivos e o dos mortos e os maus espíritos podiam atacar causando doenças ou prejudicando a safra. Claro que afora @s seguidor@s do culto bruxístico que também virou moda no primeiro mundo nas últimas décadas, quase ninguém hoje em dia acredita neste tipo de bobagem. É apenas uma brincadeira. Até aí, tudo bem.

Que seja uma brincadeira em terras gringas não me parece ruim. É mais uma atração turística por lá. Quando estudei nos EUA ficava espantado vendo as pessoas mais sérias e formais aparecerem no dia 31/10 para trabalhar vestindo as fantasias mais ridículas concebíveis, não só no comércio, mas até em bancos, órgãos públicos e mesmo na Universidade.

Mas essa "festa" chegou ao Brasil, com a mesma idéia de se fantasiar, brincar de coisas "sobrenaturais", etc.

Chegou ao Brasil de Câmara Cascudo e João Simões Lopes Neto, das lendas e crendices caboclas, índias e negras, de tantas "entidades" que povoam não só o imaginário popular, mas também os cultos sincréticos e religiões afro-brasileiras.

Pois - sintoma de Colonização de 2o para 3o grau - o raloin tupiniquim só cita as "entidades sobrenaturais" importadas! Assim, vemos crianças vestidas como monstros de Frankenstein, zumbis (não o dos Palmares, que fique claro), múmias do museu britânico, duendes, fadas, feiticeiros e bruxas europeus... Isso quando não se vestem como vampiros da distante Romênia (saberão elas que se Vlad Tepes - o "Drácula" - lhes sussurasse umas palavrinhas no ouvido antes de morder a jugular, elas provavelmente entenderiam o que ele disse, pois o romeno é uma língua latina parecida com o português?).

Bem, aí a coisa já foi longe demais!

Foi por isso que surgiu, em 2003, um movimento que reivindica o resgate da mitologia popular brasileira, cujas raízes eram mais fortes até o passado recente (especialmente no meio rural), mas que acabaram diluídas com a urbanização crescente, processo que se completou com a
neocolonização cultural pró-estadunidense do pós-guerra.

Trata-se da SoSaci - Sociedades dos Observadores de Saci, movimento que integro há alguns anos. A idéia foi implementada em 2005 com a criação do Dia do Saci, um esforço coletivo de substituir a cultura colonizada das bruxas e monstros forâneos. Hoje é o Dia do Saci!

Leia o Manifesto do Saci / Carta de Princípios (que inclui o genial Manifesto Antropófago revisitado):

Só o saci nos une. Sacialmente. Etnicamente. Culturalmente. No ano 449 da deglutição do Bispo Sardinha em Piratininga, e 75 anos após o lançamento do Manifesto Antropófago de Oswald de Andrade, os saciólogos desta terra vão, aos pulos, convergindo em torno da única lei justa do mundo globalizado. O saci resgata nossa identidade, nossas raízes, o xis da questão tupi. Contra todas as catequeses do Império só nos interessa o que não é deles. A lei do saci.

Estamos fatigados de todos os colonialismos travestidos de drama roliudiano. O cinema americano devorando corações e mentes. Demente. No país onde dá status ter casa em Maiami e comprar em sales com 20% off. Estacionar no valet parking e pedir comida delivery. Por isso fazemos eco ao brado oswaldiano, contra todos os importadores da consciência enlatada. Oswald ainda grita, resquícios do nheengatú ecoando ao longe. Nunca admitimos o nascimento de Jeca Tatu entre nós. Só que o Jeca de Lobato resiste. Ele resiste ao Pato Donald, aos Poquemons, ao Raloim, às bruxas do Bush.

Alguns dirão: trocar crendices importadas por crendices nativas continua sendo promover crendices! Mas não me parece que seja o mesmo tipo de coisa. Promover a cultura brasileira - antes que as crendices em si - é ajudar a descolonizar esse grande e belo Brasil que precisa tanto da atenção e dedicação de suas melhores cabeças, com tantos problemas por resolver.

Quanto as crendices, bem, ninguém acredita nelas mesmo, não é mesmo? De novo, fica a brincadeira.

Por outro lado, fica mais barato desmistificar uma crendice daqui que uma importada: sabe quanto custa trazer um vampiro da Romênia só para mostrar que ele é uma fraude? Para pegar um Saci só precisamos de uma peneira, uma garrafa e uma rolha.

É essa a idéia. Cultura Brasileira para os Brasileiros!


Reproduzo, abaixo, a carta que enviei há um ano atrás a vários amigos e colegas.

***

Raloin? Que nada: Dia do Saci!

Olá, amig@s,

Hoje - 31 de outubro - é o Dia do Saci! (e não estou falando só para os colorados, não. Sério!)

Por que “raloins”, bruxas, duendes e gnomos? Nós, brasileiros, temos nossos próprios mitos, que não ficam nada a dever a esses importados, comerciais, que são usados para anestesiar a auto-estima do nosso povo. Respeitamos os mitos dos outros, mas não queremos que eles sejam usados pela indústria cultural como predadores dos nossos (do abaixo assinado pela criação do Dia do Saci).

O Dia do Saci (31 de outubro) está oficialmente instituído nos âmbitos municipal e estadual de São Paulo, onde vários eventos vêm acontecendo. Para que a data seja estendida a todo o território nacional, os Projetos de Lei 2479/2003
e 2762/2003 de autoria, respectivamente, dos deputados Ângela Guadagnin (PT/SP) e Aldo Rebelo (PCdoB/SP) tramitam em conjunto na Câmara dos Deputados, já tendo conseguido aprovação na Comissão de Educação.



alt="" border="0" />

Querem saber mais?
http://www.revistaforum.com.br/sitefinal/NoticiasIntegra.asp?id_artigo=1350
http://www.cultura.gov.br/noticias/noticias_do_minc/index.php?p=12726&more=1&c=1&pb=1
http://www.sosaci.org/abaixo-assinado.htm
http://www.sosaci.org/
http://www.saofranciscoxavier.net/archives/turismo/000211.html


Mas quem é o Saci Pererê?
http://www.suapesquisa.com/musicacultura/saci-perere.htm

Prós e contras:
http://educarparacrescer.abril.com.br/aprendizagem/halloween-395939.shtml

Mais iniciativas:
http://projetosaci.blogspot.com/ http://www.midiaindependente.org/pt/blue/2005/11/336484.shtml
http://brasil.indymedia.org/pt/blue/2005/11/335690.shtml

E salve Câmara Cascudo!

***

Por fim, para os que ficaram preocupados com minha recaída mística, observo que a sociedade de observadores de Saci sabe que não dá para se "observar" um Saci... a única coisa a fazer é lutar pela "observação" de nossas tradições, porque é muito feio ficar fingindo ser americano sem sê-lo. E cuidado, que Chuck Norris pode ficar enfezado...


8 comentários:

Renata Lima disse...

Viva o Saci!!!

juliana disse...

(Um pouco atrasada para a comemoração)... mas quando as crianças aqui do meu condominio me baterem a porta ano que vem para solicitar "gostosuras" vou me vestir de saci e lhes oferecer um cachimbo.

Henrique disse...

Ah meu deus (sic)!

Eu acabei de escrever um comentário no post das palestras do planetário sobre como o meme do marxismo/esquerdismo é tão ou mais pernicioso que o meme do Criacionismo. E agora me deparo com um post desses.

Não por acaso, vejo que este post - de cunho político esquerdista/"anti-EUA" - é de autoria do professor Jorge.

Esse blog é uma idéia louvável, desde que permaneça focado naquilo para que foi concebido (de acordo com a descrição que consta na página): o combate às pseudociências, crendices e ao obscurantismo. Tentem não perder o foco.

Marcia disse...

Jorge

Nada contra o culto ao mito
do Saci Pererê que como os anjos
é meio assexuado.

Mas como feminista de carteirinha
não posso de dar o meu pitaco. A
minha "entidade " favorita é a

Salamandra do Jarau

que como toda mulher, quando não
está na TPM vira princesa.

abracos

Marcia

matheus disse...

no meu ver, não se deve promover crendices de nenhum tipo. a tênue linha entre realidade e brincadeira é facilmente distorçida por mentes obtusas e pelas crianças. eu particularmente tenho horror a crendices que assustam crianças.

Paulo Francisco Slomp disse...

Olá Jorge!

Tu és gremista? Ou, como colorado, estás enaltecendo o mascote do teu clube?

Saluti!

André Kugland disse...

Como de costume, o debate já começa pelo besteirol... Crendice o cacete, o Dia do Saci não transformará o Saci em objeto de crença, só na cabeça de um cético lunático poderia surgir essa hipótese... Adelante...

A questão é que esse dia não vai ser comemorado, datas cívicas podem ser instituídas por decreto - sei lá, Dia de Tiradentes, Dia do Massacre da Escadaria de Odessa &c - mas comemorações folclóricas não pegam se não surgirem espontaneamente.

E os trechos anti-americanos do manifesto são imbecilidade pura e simples. Viva Hollywood!

Jef disse...

André,

Obrigado pelos comentários construtivos aos posts. Vamos tentar, como o Dr. Leonard Hofstadter, avisar quando estivermos sendo sarcásticos. Quanto às tuas críticas aos comentários políticos do Jorge, bem, não as fizeste, não é? Um ad hominem é sempre mais fácil...