sexta-feira, 23 de maio de 2008

Talk.Origins

Do you like this post?
Eu adoro a evolução. Sério. Para mim, a evolução tem comportamento similar ao dos projetos open source e da Wikipedia: são coisas gigantes que possuem poucas regras básica, e que quando somadas com muito tempo ( ou muitas pessoas, no caso dos projetos e da Wikipedia) podem criar diversidade e complexidade não imaginadas inicialmente. O fato dela funcionar pode ser meio contra intuitivo (assim como open source e a Wikipedia), mas funciona.

Muito interessante também é o debate Evolução x Criacionismo (ou então sua versão moderninha, o Projeto Inteligente). É um fenômeno basicamente americano, mas isso não o torna menos impressionante. Não posso afirmar categoricamente, mas deve ser a negação/pseudociência com mais adeptos. Pudera! Uma ¨teoria científica¨ que tem Deus no meio e que destrói evolução, como que fundamentalistas e conservadores cristãos não iriam adorar criacionismo?!Obviamente, criacionismo não é uma teoria válida. Não é ciência, não tem evidências próprias (somente ¨provas¨ de que a teoria da evolução está errada; provas que contém vários erros factuais e falácias lógicas) e tem uma motivação ideológica evidente.Eu não vou só xingar nesse post, não se preocupe. Vou passar o link para um dos materiais mais completos sobre o debate que eu já vi: o arquivo do talk.origins. Impressionante. Altamente recomendado para todos interessados no assunto.PS (10/01/2009): link corrigido (JJA)

4 comentários:

Patola disse...

O talk-origins era legal, mas é uma pena terem parado as atualizações. Poderiam colocar refutações contemporâneas das estupidezes do criacionismo ou coisa parecida.

Jef disse...

Segundo o Pharyngula, eles voltaram:

The talkorigins domain has been inaccessible for some time now…but no more. All the problems have been resolved and you can now find all the content back online at talkorigins.org.

Coloquei novamente o link original.

André von Kugland disse...

Quandos googolplex de anos levaria para a Wikipedia chegar ao seu estado atual se não fosse desenhada por seres inteligentes, mas copiada de /dev/random?

André von Kugland disse...

Patola: o plural de estupidez é estupidezas. Consulte o Houaiss.